A Teoria de Tudo

Finalmente, eu assisti A Teoria de tudo. Um filme de amor. Conta a história de Stephen Hawking desde o período de estudante de doutorado, passa pelo descobrimento da sua doença e pelo seu sucesso como físico. Muito interessante também perceber a genialidade do físico e sua vulnerabilidade ao se deparar com os desafios da sua nova condição de vida. O filme é baseado no livro de sua esposa, Jane Hawking.

A-TEORIA-DE-TUDO-

Eddie Redmayne, o ganhador do Oscar pelo papel de Stephen é impressionante. Ele demonstra uma linguagem e adaptação corporal fantástica. Felicity Jones é Jane, a doce e tímida garota que dedicou a sua vida ao cuidado do homem que amava e da família que eles formaram.

A trilha sonora tem muitos elementos de música clássica e eletrônica. O figurino também me encantou. O filme nos leva a reflexão sobre o sentido da vida e a importância de valorizar as pessoas que estão ao nosso lado. Fofo recomenda!

Stephen e Jane na ficção e na vida real

Stephen e Jane na ficção e na vida real

Anúncios

Estrela

Hoje a saudade bateu forte. Como um soco no estômago. Saudade de cantar o pinheirinho de Natal e queimar os dedos segurando as velas acesas. Saudade das rabanadas fresquinhas. De buscar cascas de árvores para enfeitar o presépio. Do sino tocando, nos avisando que o almoço está pronto. De você me pedir para ler aquele versículo alto, para toda a família ouvir, mesmo sabendo que eu morria de vergonha. De ouvir os cantos gregorianos. De andar pela cidade dizendo o nome de cada uma das árvores que encontrávamos pelo caminho. Das suas danças estilo Carmem Miranda. Do vinhozinho de cada dia. Dos verões em Itapoã. De você dizer “Feliz de você que tem uma vó para te dizer isso…”

voeju

Tantas vezes, você cuidou de mim. Das doenças de criança, dos aborrecimentos de adolescente. Das dúvidas de jovem adulta. Da sua maneira, você me ensinou tanto sobre a vida! Mais tarde, eu também cuidei de você. E agora, a Estrela mais brilhante é você.

A herança mais cara, mais rara, você deixou pra mim. Foi exemplo de mulher forte, guerreira, que sabe o que quer. Que não fica parada. Que faz, corre e luta para ser feliz.

A elegância, gentileza e sabedoria. O gosto pela música e arte. A educação e empatia. Isso não tem fortuna no mundo que pague. Afinal, a saudade é o amor que fica¹. Que quando não cabe mais no coração escorre pelos olhos². Eu espero um dia, poder ser exemplo para a minha família como você foi para mim.

¹ Dr Rogério Brandão

² Bob Marley

O Novato

O novato é aquele do qual todo mundo fala. Todo mundo julga.  O cara é bom? O cara foi indicado por alguém? Vai pegar o meu lugar? Parece que as minhocas imaginárias são coletivas! Alguns (poucos) ajudam. Outros ignoram. O Game of Thrones do trabalho não perdoa…

O novato precisa ralar muito para se sentir parte do grupo, aprender como as coisas são feitas naquele lugar novo. Qualquer coisa errada que aconteça vira culpa dele. Daí o frango voa no refeitório. O cara se perde nos corredores. Entra na sala errada. E ele torce para chegar outro novato e ele poder relaxar.

Meu dia na Tiffanys

Eu adoro jóias. Elas me passam uma ideia de eternidade, beleza e sofisticação. Lembro de bem pequena fuçar na caixa de jóias da minha mãe e andar pela casa enrolada em colares de pérolas! Hollywood apenas ajudou a aumentar o meu fascínio! Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor, Grace Kelly… todas sempre apareceram deslumbrantes nos filmes. O tapete vermelho das premiações atuais também servem de passarela para as estrelas desfilarem brilho e glamour. Mas, na minha opinião, a diva Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo foi quem mais marcou. Tanto que meu sonho de consumo é uma joia da Tiffany & Co.

Café da manhã na Tiffanys

Café da manhã na Tiffanys. 

Enquanto a ida a New York não chega, me contento em ir a loja de Brasília. Da primeira vez, passei por perto, olhei de longe, mas não tive coragem de entrar. Há poucos dias, meu marido me levou lá. Eu estava de pé quebrado, de botinha. Como não conseguia andar, pegamos uma cadeira de rodas para que eu pudesse passear no shopping. Ao entrar, já fomos recebidos por uma vendedora com um enorme sorriso, uma fofa! Ela fez questão de me mostrar as joias e me deixou experimentar todos os anéis! Quase tive um ataque cardíaco! Gente, eles brilham muito mais do que eu poderia imaginar. Também pude conhecer as peças em platina e prata, além de objetos de decoração para a casa, para bebês e acessórios em couro.

Holly na Tiffanys

Holly na Tiffanys

A vendedora me falou sobre os tipos de lapidação dos diamantes, a história da marca e até me indicou um filme “O grande Gatsby” com Leonardo di Caprio. As joias (de tirar o fôlego!) utilizadas nesta produção são todas da Tiffanys. Outro filme que tem uma cena fofa na famosa joalheira é “Doce Lar“, com Reese Witherspoon e Patrick Dempesey.

O Grande Getsby

O Grande Getsby

Um pedido de casamento na Tiffanys - Doce Lar

Um pedido de casamento na Tiffanys – Doce Lar

Ainda não tenho o meu diamante na caixinha azul, mas tenho lembranças desse dia memorável e ainda recebi um catálogo maravilhoso. Como diria Holly Goolightly: Nada de ruim pode te acontecer na Tiffanys.

Foto: Divulgação

Alianças

Solitários

Solitários

Fada Madrinha

Ela queria um plano, um caminho. A Fada Madrinha das histórias infantis. Um ser encantado, com uma varinha de condão e pó de pirlimpimpim. Assim poderia voar para a Terra do Nunca e viver de aventuras. As roupas seriam novas e brilhantes. Os sonhos, realidade. O medo não existiria mais. Mágico pensar assim, não?

Fauna, Flora e Primavera

Fauna Flora e Primavera

Fada Madrinha - Cinderela

Fada Madrinha e Cinderela

Lembra quando a Fada Azul disse que o Pinóquio seria um menino de verdade? Era o maior sonho da vida dele! Tudo o que ele mais queria no mundo…

Descobrir os sonhos e desejos verdadeiros. Valorizar a própria essência. Ela consegue ver essa parte. Consegue, quase, não se importar com as opiniões alheias.

Tá certo, poderia ser apenas uma pessoa, de carne e osso, alguém atencioso e disposto o bastante para ensinar, proteger e guiar neste caminho. Segurar na mão durante a turbulência. Alguém aí se habilita a patrocinar minha ida para a Europa? Aquele violão perfeito? Ou o curso de Francês?

Não, o mundo prega independência. É cada um por si. Falta espaço para Fadas Madrinhas.

Você será um menino de verdade!

Você será um menino de verdade!

Talvez estas histórias existam principalmente para nos lembrar de olhar e ouvir a nós mesmos. Buscar força, resiliência, aquela capacidade de recuperar o equilíbrio após momentos de dificuldade, mesmo que seja num cantinho escondido da alma.

Sininho

Sininho

Espelho

Ela se olha no espelho. Se arruma para uma vida que não é a sua. A pele perfeita. Com olhos de gato e cílios de boneca. O cabelo se ajeita em um rabo alto onde os poucos fios brancos cintilam. Calças bem cortadas e saltos, altos, pretos, brilhando. Ela é uma mulher de sapatilhas, não de saltos, pensa. Mas a vida é repleta de obrigações como as de hoje.

Bom dia e um sorriso. A conversa de elevador que será esquecida ao cruzar pela porta. Trânsito, suor e barulho.

Ela chega ao seu destino. A senhora que deveria encontra-la não. A espera é longa e tensa. Vai dar certo, não vai dar certo. Sou ótima nisso. Odeio isso. E se… a confusão de ideias e valores que rondam uma cabeça cheia de minhocas.

Desisto. Pensou ela. Até que a secretária chega com um recado. Mudança de local, mas o encontro está marcado.

Uma correria para chegar a um lugar desconhecido. Uma obra transforma o caminho em um emaranhado de poeira, brita e piche. Mas ela chega, bem a tempo.

No castelo de cinema lhe oferecem uma taça com água. Os sabiás ao fundo parecem conhecer a sua história.

Começa a conversa. Faça isso, não faça aquilo. Você pode? Você consegue? Como se responsabilizar por algo tão estranho? O mundo não gira ao redor de ninguém. Temos que girar em volta dele. As palavras do homem com o chapéu alto ressoam na mente dela.

Por fora, apenas sorrisos e abraços desconfortáveis. A espera recomeça. Mas os pés podem voltar a pisar o chão.

Foto: Reprodução da Internet

Foto: Reprodução da Internet

A minha pessoa

Em 2005, eu era uma estudante universitária. Estava começando a entender este mundo da Enfermagem, dos hospitais. E então eles chegaram. Os residentes do Seattle Grace Hospital: Meredith Grey, Izie Stevens, George O’ Malley, Alex Karev e Cristina Yang. Poder ver que aquele grupo de residentes tinha medos e dúvidas tão parecidas com as minhas foi um alívio. E uma diversão.

No começo, eu não gostava muito da Cristina. Seus comentários sempre tão ácidos, a paixão pelo trabalho e os movimentos perfeitos. Seu jeito tão “tubarão” de ser… Aí a amizade dela e Meredith vai aumentando e se torna o relacionamento mais forte do seriado. E então ela define “a minha pessoa”.

Quer uma declaração maior do que essa? Uma amizade cheia de carinho, sarcasmo, dança e tequila. Tão verdadeira e segura. Daquelas que queremos na vida real.

A Drª Yang é mais do que isso. Ela já passou por poucas e boas! Foi deixada no altar, perdeu o pai, sobreviveu a um acidente de avião e ao trauma pós tiroteio, cantou Like a Virgin no Centro Cirúrgico… Sem contar as cirurgias mais complicadas e os desfechos sempre incríveis!

Muitas vezes quando já estava trabalhando na Cardiologia, eu conseguia ligar os casos dela às experiências que eu tinha no hospital. A cirurgiã cardíaca ia se orgulhar da enfermeira aqui!

E no final da 10ª temporada, Cristina se despediu. A atriz Sandra Oh não renovou seu contrato. Apesar disso, ela deu vida a uma das personagens mais emblemáticas da TV americana.Os roteiristas de Grey’s Anatomy vão ter muito trabalho na nova temporada.

E nós, vamos sentir saudades.

Meredith e Cristina

Meredith e Cristina