Mais cartas de amor

Conheci um site muito lindo chamado More love letters. Tudo começou quando Hanna Brencher se mudou para Nova York e percebeu que a vida na Big Apple não seria tão glamourosa quanto ela imaginou. Ela ficou deprimida e encontrou conforto ao escrever. Começou como um diário, depois ela passou a escrever e espalhar cartas de amor, apoio e força pela cidade. Daí ela começou um site onde perguntava se as pessoas precisavam receber cartas assim. Ela acabou recebendo tantos pedidos que não conseguiu mais responder sozinha.

Hoje qualquer pessoa pode ajudar escrevendo cartas para alegrar o dia de alguém desconhecido. A equipe do site escolhe algumas histórias e qualquer um pode enviar uma correspondência. Você também pode indicar um amigo ou familiar para receber cartas de pessoas do mundo todo! Ainda existe uma sessão onde as pessoas enviam as cartas que foram encontradas pelo mundo. Achei uma ideia linda e tão delicada… Eu com certeza adoraria receber. Por enquanto, todas as mensagens são em inglês, mas já existe uma ideia para levar este projeto para outros países. Fofo recomenda!

Para sempre Alice

Mais um filme que me encantou. Na história, Alice uma famosa professora de linguística que começa a ter lapsos de memória, esquecendo palavras e se perdendo nas ruas de Nova York. Ao investigar o motivo, ela descobre ser portadora de Alzheimer precoce. Essa descoberta testará os seus vínculos familiares e a levará a perder o que ela mais preza, sua capacidade de se comunicar com clareza.

O filme mostra o medo e a angústia de Alice quando ela começa a se perder de quem era. As dificuldades encontradas pelo marido, que deixa de ser um parceiro e passa a ser um cuidador. As diferenças nas atitudes dos filhos, em relação a querer ou não saber se eles também são portadores da doença e a adaptação à nova vida da mãe.

O tema é muito delicado e foi abordado de forma sensível e bonita. O mais interessante, na minha opinião, foi poder ver os sintomas iniciais e a visão do familiar que também se torna um cuidador. Um dramão, daqueles que nos fazem pensar em como a vida pode se transformar completamente, independente das nossas vontades. Para renovar nossa vontade de viver e nos lembrando de viver o momento e aproveitar o agora.

Julianne Moore ganhou vários prêmios, incluindo o Globo de Ouro, Bafta e o Oscar por este papel.

Tempo de Despertar

Neste filme de 1990, Robin Williams vive o Dr. Sayer, um neurologista que nos anos 60, começa a trabalhar em um hospital psiquiátrico. Lá ele começa a perceber que os pacientes, apesar de catatônicos, conseguem ser estimulados com o uso de uma bola de baseball, por exemplo. O médico, diferente de seus colegas, acha que os pacientes estão apenas adormecidos. Ele então decide experimentar uma nova droga, L Dopa, que estava sendo bem aceita em pacientes com Mal de Parkinson.

A diretoria do hospital concorda com esta experiência em apenas um dos pacientes. O escolhido é Leonard Lowe, o personagem de Robert De Niro, que não tinha resposta há 30 anos. Os resultados são impressionantes! Os pacientes passam a despertar e ter curiosidade pela vida e alegria de viver. Porém, Leonard começa a apresentar graves efeitos colaterais que preocupam o Dr Sayer e os próprios pacientes.

Imagem da Internet

Imagem da Internet

O longa metragem é baseado na história real do neurologista Oliver Sacks, com os sobreviventes da encefalia letárgica, patologia que atingiu milhões de pessoas e matou muitas delas na década de 1920.

Dirigido por Penny Marshal, o drama é muito interessante pela demonstração da vontade do médico em ajudar as pessoas e também mostra a equipe de enfermagem como atuante no cuidado. O filme é lindo, motivador e incita uma reflexão sobre a valorização da vida. Fofo recomenda!

Tempo de Despertar

Fofo Indica: Mandalas

Gosto muito de desenhar, recortar, criar cartões e presentes. Tenho muitos lápis, adesivos e “cacarecos” para meus trabalhos manuais. Também gosto muito de entrar em livrarias e descobrir novidades.

Outro dia encontrei uma coleção chamada Mandalas de bolso. São 6 pequenos livros, com 46 ilustrações de mandalas para colorir. As mandalas são representações geométricas de energia, da relação entre o ser humano e do universo. Descobri que esse exercício de pintura também auxília o autoconhecimento e a diminuição do estresse. Também existem livros de pintura com mandalas catalãs, egípcias… Tem para todos os gostos!

Comecei a pintar e também já “iniciei” algumas pessoas da minha família. É uma experiência muito interessante. Os livros são encontrados nas principais livrarias e também pela internet. Fica a dica!