Diário de um estágio II – na terra da garoa

Cheguei em São Paulo cheia de expectativas e medos. A começar pelo avião que não é um meio de transporte que me agrada muito… depois a cidade enorme e desconhecida que me esperava. Me senti bem em meio aos prédios enormes e  todas aquelas pessoas que parecem correr o tempo todo! Me surpreendi com a simpatia e com a facilidade que senti em andar pela cidade. A noite, mais um medo: os plantões noturnos! Chegando no estágio, a professora era muito tranquila e após algumas explicações ela perguntou quem gostaria de começar com os partos. Não pensei duas vezes e quando me vi, já estava paramentada esperando o bebê nascer. Parece que não durou nem um minuto e ela estava nas minhas mãos. O cordão umbilical dava uma volta no pescoço. Eu apenas deslizei o cordão pelo meu dedo e pronto, tudo certo. Era uma menina! Foi um momento de muita emoção e felicidade. Achei que eu fosse chorar também. Me senti uma enfermeira obstetra pela primeira vez.

Mais tarde, já de madrugada, fiz meu segundo parto. Desta vez, era um menino. Também não demorou nada e a mãe era de uma calma muito tranquilizadora. Já estava amanhecendo e eu precisava descansar um pouco antes de sair para conhecer a cidade.

enfermary

Foto: enfermary.blogspot.com